Aulas, News 2, Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja, Tradução
Deixe um comentário

Sobre Raganuga-Bhakti

Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja: O que é uma mañjari? Ouvimos falar de Kamala-mañjaris e manga-mañjaris. Qualquer trepadeira ou boa flor possui mañjaris. Embora a mañjari apareça primeiro e, em seguida, a flor; a mañjari está sempre localizada acima da flor. Quando uma abelha vem sentar-se na flor e beber seu mel, a mañjari tremula, ficando muito feliz.

Da mesma forma, a abelha Krsna vem até Srimati Radhika, Ela olha para Ele, e Eles se envolvem em passatempos amorosos (prema-vilasa). Embora a ‘abelha’ não se senta na mañjari, a mañjari treme, sentindo-se como se a abelha estivesse se sentando em cima dela. O que quer que a “flor” experimenta nesses passatempos também se manifesta na mañjari, por isso não há necessidade de a abelha ir até ela. Ela automaticamente sente tudo que é sentido pela “flor”. Se a abelha beija a flor, então, vendo isso, a mañjari sente que “a abelha me beijou.”

Na verdade, a mañjari sente algo especial, algo que até mesmo a flor não sente. No sentido de que a flor não treme como faz a mañjari. Da mesma forma, as servas de Srimati Radhika experimentam um prazer em ser sua serva, que ela mesma não consegue experimentar, e esse prazer é chamado bhava-ullasa rati.

Srila Raghunatha dasa Gosvami queria ser uma mañjari, não uma flor. Em outras palavras, ele não queria sakhi-bhava (o humor de amigas de Srimati Radhika como Lalita e Visakha, que têm relações diretas com Sri Krsna). Voce entende? Aqui reside a importância das mañjaris. Em nossa sampradaya ninguém quer ser sakhi de Sri Radha; eles só querem ser Suas kiñkaris. Vocês estão acompanhando completamente as minhas palavras? Vocês sabem o significado da palavra kiñkari?

Sripad Tamal Krsna Gosvami: Serva.

Sripad Madhava Maharaja: Criada.

Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja: Não há nenhuma palavra equivalente em Inglês para kiñkari. É uma palavra em sânscrito tão bela, que se refere a algo muito suave, muito perfumado, e muito doce.

Nós não podemos aprender estes tópicos simplesmente lendo livros. Nenhum livro irá esclarecer as verdades para vocês como estamos discutindo nesta conversa. Ao discutir comigo dessa maneira, vocês podem obter muito mais do que vocês poderiam obter simplesmente por ler livros.

Sripad Madhava Maharaja: Essas verdades vêm somente através de realizações.

Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja: Eu não digo que eu tenha qualquer realização, mas eu tenho a misericórdia de Deus e a misericórdia de Gurudeva.

No primeiro sloka do Vilapa-Kusumañjali, Srila Raghunatha dasa Gosvami afirma que, embora o marido de Rupa Mañjari esteja ausente, ele vê uma marca em seus lábios. Como isso aconteceu? Não é que Krsna tenha beijado Rupa Mañjari. Ele beijou Radhika, e é Radhika que, portanto, tem essa marca em Seus lábios, mas a marca se manifesta imediatamente nos lábios de Rupa Mañjari.

Sripad Tamal Krsna Gosvami: Eu estava lhe perguntando sobre isso em Bombaim.

Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja: As marcas no rosto ou corpo de Srimati Radharani não vão para Lalita e Visakha, mas todas elas vão para as mañjaris. Somos seguidores de Rupa Gosvami, que é Rupa Mañjari.

Eu acho que por toda a sua vida, vocês não vão esquecer estes ensinamentos.

Uma pessoa pode ter tomado somente anusthaniki (formal) diksa, pensando: “Tantos outros aceitaram diksa, então eu também deve aceitar.” Através de um yajña de fogo ele recebeu um cordão sagrado, kanti-mala (contas de pescoço), e assim por diante, mas a ele não foi dado instruções sobre o humor interno de diksa, o que constitui diksa real.

Diksa vem gradualmente, e não em um momento; o processo de receber diksa ocorre ao longo de um longo período de tempo. Quando se tem a vantagem de samskaras, nascimentos passados, pode-se aceitar facilmente diksa e o processo será realizado de forma rápida, mas sem samskaras anteriores, o processo será lento.

Sripad Tamal Krsna Gosvami: A não ser que tenhamos a associação de Vaisnavas raganugas.

Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja: E esse discípulo também deve ser qualificado. Se o discípulo não tem samskaras suficientes e ainda não possuir qualquer avidez, ele não será capaz de receber adequadamente essas verdades de seu diksa-guru, que pode ser muito qualificado, mas pode não ter tempo suficiente para treiná-lo sobre este assunto. Mais tarde, quando a avidez é destinada a vir, aquele discípulo não muda seu gurudeva; ele só precisa aceitar um siksa-guru. Às vezes, o discípulo vai dar mais preferência para o seu siksa-guru, ou igualmente a ambos os gurus, de acordo com a sua qualificação. Ele vai gradualmente ouvir todos esses tópicos.

Se um de diksa-guru está presente, o discípulo receberá todas estas coisas dele. Ou, seu gurudeva irá, alegramente, lhe pedir que ouça esses tópicos de outra pessoa, como no caso de Sri Syamananda prabhu, Srila Narottama dasa Thakura, e Sri Srinivasa Acarya. .

Como mencionei anteriormente, se uma pessoa tem avidez pela força de seus samskaras de seus nascimentos anteriores, ou por samskaras de seu nascimento atual, ele vai começar a vasculhar os sastra – lendo e ouvindo – especialmente os sastras ou comentários escritos por Srila Rupa Gosvami e seus seguidores, os Vaisnavas rupanugas.

Qual é o significado real de rupanuga? Em seus livros, Srila Rupa Gosvami descreveu, em tatastha-bhava, as várias rasas. Vocês sabem o significado de tatastha?

Sripad Tamal Krsna Gosvami: Marginal.

Sripad Madhava Maharaja: Neutra.

Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja: Ele escreveu a partir de uma posição neutra sobre todos as rasassanta, dasya, sakhya, vatsalya, e madhurya. Se alguém tem avidez por qualquer um desses humores, essa pessoa será um bhakta-raganuga, mas não rupanuga.

O que é rupanuga? Mesmo que alguém siga o Ujjvala-Nilamani, ele pode ser raganuga e não rupanuga. Só se poderá ser rupanuga quando se estiver seguindo especialmente o modo em que Srila Rupa Gosvami (na forma de Sri Rupa Mañjari) serve a Radha e Krsna, meditando profundamente sobre as Suas qualidades, e a bhava que Rupa Mañjari possui em servi-Los.

Sripad Madhava Maharaja: Todos os bhaktas-rupanugas são raganugas, mas nem todos os raganugas são rupanugas.

Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja: O sadhaka vai ter que vasculhar o sastra em como receber esses humores. Ele vai ouvir de um Vaisnava rupanuga, que irá lhe dizer para ler o Srimad-Bhagavatam, Ujjvala-Nilamani, Krsna-Karnamrta, Radha-Rasa-Sudha-Nidhi, o Gita Govinda de Jayadeva Gosvami, e os livros de Candidasa, Vidyapati e outros.

O Vaisnava rupanuga também irá instruí-los para pesquisar apenas aquela bhava pela a qual ele possui avidez. Ele vai saber tudo sobre sakhya, vatsalya, madhurya, mas terá que servir em apenas um estado de espírito, o humor de seu sthayi-bhava (humor constitucional permanente). O sthayi-bhava de alguém irá se manifestar apenas quando prema é obtido, mas a avidez para este sthayi-bhava é alcançado antes disso. Avidez genuína não vai mudar nesta ou em qualquer vida futura – isso é chamado gadha-samskara*. Se alguém tem avidez real, como Srila Rupa Gosvami , sua avidez para um determinado sthayi-bhava nunca mudará, seja qual for o seu nascimento. Ele sempre permanecerá o mesmo.

Bharata Maharaja alcançou a fase de bhava, mas não se sabe em que rasa.

Sripad Tamal Krsna Gosvami: No Bhagavatamrtam é dado que a sua rasa está situada em uma das rasas de Vaikuntha-bhava.

Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja: Somente dasya-bhava.

Sripad Tamal Krsna Gosvami: Sim, dasya-bhava.

Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja: Sanaka, Sananda, Sanatana, e Sanat Kumara têm suas sthayi-bhava em santa-rasa. No entanto, eles podem narrar todo o Srimad-Bhagavatam.

Sripad Tamal Krsna Gosvami: Como isso é possível? Eu me lembro de ter perguntado essa questão a você antes.

Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja: Eles podem fazê-lo a partir de uma posição neutra. Eles sabem tudo sobre as várias rasas, mas eles não têm experiência direta dessas rasas.

Sripad Tamal Krsna Gosvami: E a respeito de Sukadeva Gosvami?

Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja: Srila Sukadeva Gosvami tem alguma experiência direta, porque ele é o suka

Sripad Madhava Maharaja: Papagaio…

Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja: Ele é o papagaio de Srimati Radhika, então ele possui a sthayi-bhava por Vraja.

Sripad Tamal Krsna Gosvami: Esta é uma coisa muito importante que você disse a respeito de Sukadeva Gosvami.

Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja: Como o papagaio de Srimati Radhika, ele senta-se nos ramos das árvores Tamala ou Kadamba, e observa os passatempos confidenciais de Radhika e Krsna, e fica muito, muito satisfeito. No entanto, ele não pode servir como Rupa Mañjari.

Sripad Tamal Krsna Gosvami: Então, que tipo de bhava que ele tem? Ele está observando tudo.

Srila Bhaktivedanta Narayana Maharaja: Foi dito no sastra que ele está em santa-bhava.

Sripad Tamal Krsna Gosvami: Porque ele está neutro.

Srila Bhaktivedanta Narayana Maharaj Mas ele está em Vraja, e não há nenhuma santa-bhava em Vraja. Vamos ter que julgar que rasa ele realmente possui. Quando Srimati Radhika e Sri Krsna estão dormindo na parte da manhã, este papagaio Suka diz tantas coisas para despertá-los.

Sripad Tamal Krsna Gosvami: Isto não é santa-bhava

Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja: Sim, isto não é santa-bhava.

Sripad Tamal Krsna Gosvami: Ele deve ter tudo.

Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja: Nós teremos que considerar todas essas verdades.

Sripad Tamal Krsna Gosvami: Por que é dito que ele está em santa-bhava?

Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja: Para os bhaktas em santa-rasa.

Sripad Tamal Krsna Gosvami: Externamente parece assim…

Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja: Mas…

Sripad Tamal Krsna Gosvami: Mas não é isso na realidade.

Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja: As vacas de Vraja estão em vatsalya-bhava, então certamente Suka não pode estar em santa-rasa.

Para ilustrar como procurar pelo processo, a fim de alcançar o fruto da avidez genuína, Srila Visvanatha Cakravarti Thakura dá o exemplo de um homem que é ávido por beber leite. Ao ver um pouco de leite ele adquire a vontade de querer prová-lo, então ele deve passar por um processo para obtê-lo. Ele pode perguntar a alguém que bebe o leite como essa pessoa o adquiriu. Depois de interrogá-lo, ele vai comprar uma vaca, certificando-se de que a vaca tenha um bezerro, porque a não ser que a vaca tenha um bezerro ela não poderá dar leite. Ele, então, leva a vaca e o bezerro para sua casa, onde ele vai aplicar água ou ghee  em seu úbere e trazer o bezerro para mamar. Depois que o bezerro mamou o leite, o homem vai lavar o úbere da vaca, e em seguida ele irá ordenhá-la. Em seguida, ele coloca o leite no fogo para ferver. Então, se ele quer aquele leite fervido adoçado, acrescenta açúcar, e para um sabor extra, acrescenta água de rosas, kewra (um extrato destilado a partir da flor Pandanus que é usado para dar sabor às bebidas e sobremesas na culinária indiana), cânfora, e assim por diante .

Da mesma forma, embora um sadhaka com a avidez genuína não requeira da razão do sastra para convencê-lo a fazer bhakti, ele passa por esses sastras que lhe darão entrada no processo, a fim de alcançar seu objetivo.

Srila Visvanatha Cakravarti Thakura nos diz que quando uma pessoa tem avidez real em raganuga-bhakti, ele também vai seguir os procedimentos de vaidhi-bhakti – embora sua bhakti não será vaidhi-bhakti. Ele vai se envolver nas nove processos de bhakti, ou seja, sravanam, kirtanam, visnu smaranam, pada-sevanam e assim por diante. Desde o início, ele irá executar cuidadosamente guru-caranasraya (aceitar abrigo sob os pés de lótus de sri guru), e servi-lo fielmente em visrambha-bhava.

Sripad Tamal Krsna Gosvami: Qual é o significado de visrambha-bhava?

Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja: Isso significa abandonar todo o medo. O medo causado pelo sentimento de temor e reverência não está presente. O discípulo vai servir o seu guru como um amigo muito querido. Ele não vai pensar: “Eu sou muito caído e ele é muito elevado.” Ao contrário, ele irá determinar: “Ele é meu e eu sou dele.”

A analogia é tal como um filho jovem que, vendo seu pai sentado acima dele, nem se importa em se sentar no chão, ele irá imediatamente saltar e se sentar no colo de seu pai. Em seguida, ele vai dar tapinhas no ombro de seu pai, acariciar o rosto de seu pai, e tocá-lo em seu braço ou segurar sua mão, servindo-o com grande amor.

Além disso, uma pessoa qualificada com avidez genuína, com ainda mais amor do que aquele filho jovem, vai servir seu gurudeva de quem ele coletou as verdades que ele tenha compreendido e os humores que agora ele possui. Este tipo de serviço íntimo é essencial.

Guru-caranasraya significa “aceitar refúgio do guru auto-realizado.” Este é o primeiro dos sessenta e quatro itens de serviço devocional. Então, seguindo as instruções do segundo item, a pessoa toma iniciação diksa dele. O Sri Bhakti-rasamrta-sindhu lista essas sessenta e quatro práticas do serviço devocional, das quais as primeiras cinco estão em relação ao guru.

“No caminho do serviço devocional regulativo, deve-se observar os seguintes itens: (1) Deve-se aceitar um mestre espiritual fidedigno (2) Deve-se aceitar iniciação dele (3) É preciso servi-lo (4) É preciso receber instruções do mestre espiritual e fazer perguntas a fim de aprender o serviço devocional. (5) Deve-se seguir os passos dos acaryas anteriores e seguir as instruções dadas pelo mestre espiritual.”

O raganuga-bhakta segue os mesmos procedimentos, mas o seu bhava (humor) é diferente daquele que é encontrado em vaidhi-bhakti. O discípulo em vaidhi-bhakti vai sentar-se mais abaixo e orar a seu gurudeva com as mãos postas, “Gurudeva, por favor me dê uma ordem. Que serviço eu devo fazer?” Então, quando ele recebe uma ordem, como servo, este discípulo irá executar o serviço. Por outro lado, uma pessoa ávida servirá no humor que eu descrevi anteriormente; sem medo e sem percepção de diferença. Ele vai concluir que “Eu sou seu …”

Sripad Madhava Maharaja: “E ele é meu.”

Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja: Todas as injunções de vaidhi-bhakti são seguidas pelos Vaisnavas raganugas, mas…

Sripad Tamal Krsna Gosvami: Qual é a diferença?

Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja: O humor é diferente.

Sripad Tamal Krsna Gosvami: Um humor diferente.

Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja: Se alguém rejeita as injunções de vaidhi, ele não será capaz de entrar em raganuga; sua avidez será barrada. Assim, ele deve seguir.

Para uma pessoa que tenha avidez real e queira acompanhar o processo de raganuga-bhakti, O Srimad-Bhagavatam diz que Bhagavan lhe vem em ambas as formas de caitya-guru e diksa-guru. Neste contexto, devemos saber que guru é akhanda-tattva (o princípio completo indiviso do guru), uma manifestação de Nityananda Prabhu, Baladeva Prabhu. Porque gurudeva dá tudo o que Nityananda Prabhu e Baladeva Prabhu vieram dar, e porque todas as suas instruções são Deles, ele é considerado como a Sua manifestação.

Na Bhagavad-Gita (10.10) está dito:

tesam satata-yuktanam bhajatam priti purvakam
dadami buddhi-yogam tam yena mam upayanti te

“Àqueles que realizam bhajana para Mim com amor, ansiando pela Minha eterna associação, Eu concedo a eles a inteligência pela qual eles podem chegar até Mim.”

Se uma alma se rende a Krsna e possui avidez pura, se ele tem um coração puro e samskaras suficientes, o Senhor revela tudo no seu coração (dadami buddhi-yogam) como caitya-guru. Krsna afirma na Bhagavad-gita, “Eu lhe darei a sabedoria para alcançar a minha bhakti.” Ele não dá isso abertamente; Ele dá no coração. Ele abençoa Seu devoto com um sphurti (visão interna), inspirando-o a partir de dentro, e pessoalmente se manifesta em seu coração todos os siddhantas. Ele também dá instruções externamente, sob a forma de o diksa-guru ou siksa-guru.

Sripad Tamal Krsna Gosvami: Você diz que ele dita dentro do coração?

Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja: Sim. Ele dita no coração. Certamente.

As pessoas podem ver que este devoto não tem guru e admiram-se: “Como é que ele sabe essas coisas?” Aqui está a resposta. Krsna dita tudo, Ele se manifesta, a partir de dentro, quer alguém veja ou não.

Tenho às vezes experimentado isso eu mesmo. Eu sinto algo dentro de mim – um determinado fato que eu não li, nem vi ou ouvi, e ainda assim, às vezes, as coisas muito bonitas vêm em meu coração. Talvez vocês também tenham tido essa experiência? Certamente vocês terão esta experiência, porque aqueles que servem a seu gurudeva certamente irão receber estas realizações. Ainda que gurudeva não esteja mais presente à nossa visão, ainda assim, ele irá manifestar todas estas verdades.

Srila Visvanatha Cakravarti Thakura começa dizendo-nos os três versos principais do Bhakti-rasamrta-sindhu (1,294-296), através da qual pode-se entrar no caminho de raganuga-bhakti. O primeiro é:

krsnam smaran janam casya prestham nija samihitam
tat tat katha ratas casau kuryad vasam vraje sada

[“Enquanto nos lembramos de Sri Krsna e dos Seus amados companheiros a quem desejamos seguir, estando totalmente absorvidos nas discussões sobre seus passatempos, devemos sempre residir em Vraja. Se isso não for possível, então devemos residir lá mentalmente.”]

O segundo é:

seva sadhaka rupena siddha rupena catra hi
tad bhava lipsuna karya vraja-lokanusaratah

“Neste caminho de raganuga, estando encantado com o intenso amor dos amados Vrajavasis de Krsna, o sadhaka deve viver em Vraja sob a orientação daqueles devotos que se abrigaram nos Vrajavasis (como Sri Rupa, Sanatana e Raghunatha dasa Gosvamis), sempre pronto para servi-los em seu corpo físico presente. E, na fase aperfeiçoada de seu siddha-rupa, o corpo espiritual concebido internamente adequado para a realização de prema-seva, ele deve se engajar no serviço acalentado a Sri Krsna de acordo com seu humor escolhido. Desta maneira, ele deve seguir os passos dos residentes eternos de Vraja, como Sri Radhika, Lalita, Visakha, e Sri Rupa Mañjari.”

E o terceiro sloka é:

sravanotkirtanadini vaidhi-bhakty uditani tu
yany angani ca tanyatra vijneyani manisibhih

“Em vaidhi-bhakti deve-se praticar as injunções de bhakti como sravana, kirtana, e assim por diante de acordo com sua qualificação. Da mesma forma, para raganuga-bhakti, também tem sido aconselhado pelos estudiosos que são bem versados nos princípios de bhakti a seguir estas práticas.”

Srila Visvanatha Cakravarti Thakura então comenta sobre cada sloka , um por um – este assunto é muito profundo. Vamos discutir o primeiro sloka.

Sripad Tamal Krsna Gosvami: Aonde está este sloka? Em qual parte do Bhakti-rasamrta-sindhu ele está? Aonde eu posso encontrá-lo?

Sripad Giriraja Svami: Eu posso encontrá-lo. Está no final da Divisão Leste.

Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja: Você pode encontrá-lo no final do purva vibhaga (Divisão Leste). Krsnam smaran significa ‘lembrando de Krsna.’ janam casya prestham nija samihitam refere-se a adicionalmente lembrar-se de Sua prestha. Você sabe o que prestha significa?

Sripad Tamal Krsna Gosvami: Meus queridos.

Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja: Esses queridos associados podem ser de dasya-rasa, sakhya-rasa, ou vatsalya-rasa, Srila Visvanatha Cakravarti Thakura está discutindo especialmente aqueles em madhurya-rasa.

Aquele que desenvolveu a avidez para atingir o humor das gopis vai se lembrar de Krsna quando Ele está no Seva Kunja ou em Vamsivata. Ele tem um lindo sorriso no rosto, e ele colocou uma flauta vamsi muito bela em seus lábios. Seus olhos inquietos, como os de um cervo, estão procurando aqui e ali. Vendo as gopis que se aproximam Ele se fica muito feliz, e naquele momento ele não tem controle algum sobre seu corpo ou mente. Ele é o próprio Deus, mas Ele esquece tudo naquele momento. Ele não sabe o que está fazendo, nem mesmo qual é a sua aparência. De pé em seu tribhanga-lalita (triplo-flexão) pose, Ele é de uma rara beleza.

Milhares e milhares de gopis estão presentes lá, mas a partir do canto de seus olhos Ele está à procura de uma gopi em particular – e esta gopi está atrasando. Em seguida, ao longe Ele vê Sua chegada. Quem é esta gopi? Srimati Radhika. O raganuga sadhaka medita em como Krsna aparece naquele momento.

Isto é smaranam – lembrar de Krsna com todos esses detalhes e apreciar suas muitas virtudes. No Jaiva Dharma lemos sobre as qualidades de Kisora-Krsna, ou seja, Krsna em Sua forma adolescente, em srngara-rasa (madhurya-rasa). As qualidades de Krsna em sakhya-rasa não são as mesmas que suas qualidades quando Ele está com as gopis, e as qualidades de Krsna com Nanda e Yasoda também são diferentes. Suas qualidades são diferentes em cada rasa.

Devemos lembrar Krsna com todas as qualidades com as quais Ele é decorado em madhura-bhava. Devemos lembrar-Lo com as gopis, enquanto ele tenta enganá-las em jogos de azar; e de como Ele ao enganá-los é enganado por eles, que tentam roubar sua flauta. Lembrem-se de Krsna e de Seu priya-jana, Seus associados mais queridos.

Quais são as formas de as gopis, e especialmente a de Srimati Radharani? Quais são as atividades daquela gopi pela qual temos avidez de seguir? Essa gopi não é Radhika, Lalita ou Visakha; é Rupa Mañjari. Temos um interesse muito especial em ver o que ela está fazendo. É seu humor que queremos adotar. Quando Srimati Radhika está satisfeita, então Rupa Mañjari fica tão satisfeita. Rupa Mañjari executa tantos serviços, como trazer água em um vaso de ouro, às vezes muito lenta e suavemente abanando com uma camara

Sripad Tamal Krsna Gosvami: Massageando?

Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja: Sim, quando ela vê que Sri Sri Radha e Krsna estão muito cansados, ela Os serve de acordo. Vamos observar cuidadosamente esta mañjari, vendo o que ela está fazendo e como ela está realizando seus numerosos serviços.

A maneira em que se entra nesses passatempos e serviços é baseado na lembrança ininterrupta. Janam casya – recordando todas as gopis, e especialmente aquela gopi em quem eu estou…

Sripad Madhava Maharaja: Interessado.

Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja: Interessado.

Sripad Tamal Krsna Gosvami: Meditando nisso.

Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja: Este é o método de raganuga-sadhana-bhajana. Tat tat katha ratas casau – Esta frase no mesma sloka é em relação ao siksa-guru, aquele premi-guru ou raganuga-guru de quem se está ouvindo. Ele vai discorrer conosco sobre as formas em que todas as sakhis estão servindo a Krsna e, especialmente, as formas em que Rupa Mañjari e o nosso guru em sakhi-vesa (sob a forma de uma sakhi) estão servindo. Deve-se falar sobre os seus passatempos com Krsna, como eu, às vezes, os discuto com vocês.

Tal devoto sempre reside em Vrndavana. Se ele não tem oportunidade de estar em Vrndavana fisicamente, com certeza ele vive lá pela mente; pois sem estar vivendo em Vrndavana, não se pode atingir esse tipo de amor.

Estas três práticas são essenciais: Krsna smarana, lembrar de Krsna com Seus associados mais queridos; tat tat katha ratas casau, continuamente conversando sobre seus passatempos; e kuryad vasam vraje sada, sempre residindo em Vrndavana (se não fisicamente, então, pelo menos mentalmente), em tais lugares de passatempos como Seva Kunja, Sanketa, e Javat, e se você tem a qualificação, você pode ir ao Radha Kunda ao meio-dia. Passar o dia todo com Radhika e com aquela gopi com a qual você tem a convicção de seguir.

Isso é tudo por hoje. Eu vou, talvez, ser capaz de completar os próximos dois slokas nos próximos três dias.

Sripad Tamal Krsna Gosvami: Você irá falar por mais três dias?

Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja: Se eu continuar com essas explicações nos próximos dias, vocês serão capazes de entender alguma coisa. Se eu estiver com pressa, a conversa não será tão benéfica para vocês.

(Pergunta em Bengali)

Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja: Sua pergunta é a seguinte: Se alguém quer viver em Vrindavana mentalmente, então o seu corpo também não vêm? A resposta é que seu corpo seguirá automaticamente a sua mente e chegará a Vrndavana, se esse for o seu único desejo.

Caso contrário, se uma pessoa não é tão qualificada, ela vai envolver-se em outras funções e pensar: “Este outro dever deve ser feito. Este trabalho deve ser feito. Além disso, o lugar em que eu moro tem tantas instalações” Então, estando muito longe, este tipo de uma pessoa vai pensar sobre viver em Vrndavana, mas ele só vai obter pouco benefício.

Aqueles que são como Srila Raghunatha dasa Gosvami irão pensar: “Se eu não estou lá na minha casa, deixe qualquer um queimá-la por inteiro. E o que vai acontecer com os meus pais, filhos e esposa se eu for para Vrndavana? Eu não sei como eles vão viver suas vidas – se eles vão estar tendo problemas e dificuldades, ou se vai dar tudo certo. Já não é minha responsabilidade.”

Por outro lado, um discípulo neófito pode dizer: “Ó, meu Gurudeva me disse para pregar, então eu devo fazer isso. Este é o meu dever (por isso não há necessidade de meditar sobre Vrndavana.)” No entanto, quando a nossa avidez florescer plenamente vamos esquecer todo o resto. Nessa fase, nenhuma outra obrigação surgirá em nosso caminho.

Tal devoto puro será visto por todo o mundo como guru. Por exemplo, mesmo agora, seguimos Srila Rupa Gosvami e Srila Raghunatha dasa Gosvami como nossos gurus. E o que estamos pregando? Nós estamos pregando unicamente as suas palavras. Nós estamos pregando as palavras de nosso gurudeva.

Se outros vão ver que as palavras de Tamal Krsna Maharaja e as palavras de Giriraja Maharaja são verdadeiramente as palavras de Srila Bhaktivedanta Svami Maharaja – se eles vão ver que as suas palavras estão corretamente na linha (de acordo com o guru e guru-parampara) – eles serão obrigados a aceitar todas as suas instruções. Neste momento não haverá nenhum mal em pregar ou fazer qualquer outra seva; isto será pregação real. No entanto, eu não sei quantos nascimentos vai levar para que vocês possam chegar a este estágio.

Um dia vocês vão ter que sair de suas atuais pregações para se tornarem qualificados para ir para Goloka Vrndavana, onde não há pregação, apenas o serviço. Então, a partir daí, como Srila Rupa Gosvami veio com Sri Caitanya Mahaprabhu, vocês também poderão voltar e pregar com o seu mestre espiritual.

*Nota de fim de página: (do Jaiva-dharma de Srila Bhakivinoda Thakura, Capítulo 28, Parte 2): Vrajanatha: Gurudeva, qual gadha-samskara, impressões profundas, é relevante para me tornar absorto em meditação?

Gosvami: Meu filho, enredado pela natureza material, você foi pego no ciclo de repetidos nascimentos e mortes, que elabora as reações acumuladas de seu karma. Nesse mecanismo, dois tipos de samskaraspraktana, de vidas passadas, e adhunika, da vida presente – têm ajudado a moldar suas constituições mentais, temperamento, e contemplações. Originalmente, sua alma possuía uma consciência pura e natureza que se tornaram poluídos. No entanto, agora as tuas obras espiritualmente piedosas anteriores o levaram a buscar associação de santos e executar serviço devocional, formando assim um novo e poderoso samskara que vai arrancar os samskaras materiais poluídos e, gradualmente, permitir que sua consciência pura original assuma o seu lugar de direito mais uma vez. Quanto mais profunda a gadha-samskara do serviço devocional afunda, mais forte a presença de acintya-tattva será sentida no coração, fazendo com que você se torne arrebatado em meditação em seu sthayi-bhava.

Parte 1… e Continuação…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s