Guias
Deixe um comentário

Colocando Tilaka – tilaka-dharana

Depois de se banhar e de se sentar em um assento chamado asana, coloque água do Ganges no pañca-patra(1) e coloque uma folha de tulasi dentro dele. Pegando um pouquinho dessa água na palma da mão, misture nela um pouquinho da terra da base de uma arvorezinha de tulasi(2). Na ausência de água do Ganges, coloque água fresca no pañca-patra e adicione uma folhinha de tulasi. Em seguida, enquanto se lembra do Ganges e de outros rios sagrados, enrole três vezes o cordão sagrado no polegar direito, toque esta água com o dedo anelar – cuidado para não tocar a água com a unha, e cante o seguinte tirtha-avahana mantra para invocar os vários rios sagrados para o pañca-patra.

gange ca yamune caiva
godavari sarasvati
narmade sindho kaveri
jale ´smin sannidhin kuru

“Ó Ganga, Ó Yamuna, Ó Godaveri, Ó Sarasvati, Ó Narmada, Ó Sindhu, Ó Kaveri, por favor estejam presentes nesta água.”

Use essa água e a gopi-candana para formar uma pasta na mão esquerda. Então, com doze mantras, começando com om kesavaya namah, aplique a tilaka formando o urdhva-pundra, o templo de Sri Hari (duas linhas voltadas para cima) em doze partes diferentes do corpo, começando com a testa(3). O urdhva-pundra começa no meio das sobrancelhas e vai até o início da raiz do cabelo, subindo por toda a testa, com um espaço limpo entre as duas linhas. Do meio das sobrancelhas e indo até 3/4 do comprimento do nariz, se forma o nasamula, com a forma de uma folha de tulasi. O mantra abaixo deve ser recitado para invocar a lembrança dos doze nomes do Senhor, enquanto se faz a pasta com água e gopi-candana e enquanto aplica a tilaka nas doze partes diferentes do corpo.

lalate kesavam dhyayen narayanam athodare
vaksah-sthale madhavam tu govindam kantha-kupake

visnum ca daksine kuksau bahau ca madhusudanam
trivikramam kandhare tu vamanam vama-parsvake

sridharam vama-bahau tu krsikesam ca kandhare
prsthe tu padmanabham ca katyam damodaram nyacet

tat praksalana-toyam tu vasudevaya murdhani

“Quando alguém marca a testa com tilaka, deve-se lembrar de Kesava. Quando alguém marca o baixo ventre, deve-se lembrar de Narayana. Para o peito, deve-se lembrar Madhava, e quando marcar o vazio oco do pescoço deve-se lembrar de Govinda. Visnu deve ser lembrado quando se marca o lado direito da barriga e Madhusudana deve ser lembrado quando se marca o braço direito. Trivikrama deve ser lembrado quando se marca o ombro direito, e Vamana deve ser lembrado quando se marca o lado esquerdo da barriga. Sridhara deve ser lembrado quando se marca o braço esquerdo, e Hrsikesa deve ser lembrado quando se marca o ombro esquerdo. Padmanabha e Damodara devem ser lembrados quando se marca as costas. Vasudeva deve ser lembrado quando se marca o topo da cabeça.”

De acordo com os slokas acima, cante os seguintes mantras enquanto toca as diferentes partes do corpo(4).

  • Na testa – om kesavaya namah
  • Na barriga – om narayanaya namah
  • No peito – om madhavaya namah
  • No vazio do pescoço – om govindaya namah
  • No lado direito do abdômen – om visnave namah
  • No braço direito – om madhusudanaya namah
  • No ombro direito – om trivikramaya namah
  • No lado esquerdo do abdômen – om vamanaya namah
  • No braço esquerdo – om sridharaya namah
  • No ombro esquerdo – om hrsikesaya namah
  • No alto das costas – om padmanabhaya namah
  • Na parte inferior das costas – om damodaraya namah

Finalmente, depois de purificar a mão, o restante da água misturado com gopi-candana deve ser limpo no topo da cabeça enquanto se canta om vasudevaya namah.

Notas: (1) pañca-patra significa literalmente ‘cinco potes’, contendo ingredientes auspiciosos que são usados no arcana da Deidade. Os cinco potes são (a) um pote de acamana para o pujari; (b) suddhodaka, água purificada; (c) padya, para lavar os pés; (d) arghya, água auspiciosa para boas vindas; e (e) acamana para lavar a boca das Deidades. Hoje em dia, esses cinco potes são substituídos por um único pote, que é chamado de pañca-patra. Às vezes o pañca-patra pode ser chamado de pote de acamana. O pujari deve separar um pote de acamana para si e um outro para a Deidade. Não se deve utilizar o pote de acamana da Deidade em si, para purificar as mãos, boca, pés, etc. e nem se deve utilizar o pote de acamana designado para si para purificar e limpar as mão, pés, e boca , oferecer artigos, etc. para a Deidade.

(2) Mesmo na ausência de água do Ganges, pode-se misturar a terra da base da planta de tulasi na água, porque todas as águas sagradas e lugares sagrados (tirthas) residem na base da tulasi. Também deve-se trocar a água do pañca-patra todos os dias, seja o do pujari como o das Deidades.

(3) Não coloque a tilaka dentro do banheiro. As marcas de tilaka não devem ser muito grandes, nem muito pequenas. Não deve ser torta e nem desnivelada. A pedra de gopi-candana não deve estar suja e nem deve ser mantida em uma caixa como uma pasta úmida. A pasta de tilaka deve ser fresca e feita e aplicada diariamente enquanto se estiver sentado, não em pé.

(4) Pode-se, primeiro, aplicar a tilaka nas diferentes partes do corpo e só depois tocar nas marcas e cantar os respectivos mantras para cada local. Ou então, também pode cantar os respectivos mantras de cada parte do corpo conforme a tilaka estiver sendo aplicada.

Anúncios
Este post foi publicado em: Guias
Etiquetado como: ,

por

É farmacêutico, terapeuta ayurvédico e discípulo de Nitya-lila Pravista Om Visnupada astottora sata Sri Srimad Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja. Uma tentativa de brâmane, recebeu seus mantras em 2008, e que tenta conservar a memória dos devotos puros e de seus discípulos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s