Aulas, SBVNM 2005, Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja
Deixe um comentário

Aparecimento de Lalita-devi

10 de setembro de 2005.

Lalita-devi nasceu na aldeia de Karehla, e, mais tarde, seu pai a levou para Uccagaon, o lugar de seus passatempos (lila-sthali). Ainda há muitas evidências de seus passatempos aqui, como uma rocha que contém as marcas de seus pés de lótus e alguns pequenos utensílios que ela usava quando ela e as outras sakhis alimentavam Krsna lá. Quando os raios de sol caem sobre as impressões dessas panelas e pratos, eles brilham e resplandecem. Todas as sakhis de Srimati Radhika costumavam brincar com Krsna e Lalita em Uccagaon, e há muitos lugares onde você pode ver as Suas pegadas até hoje.

Na colina há uma rocha escorregadia que mostra um passatempo específico onde foi encenada uma arena de casamento. Lá, as gopis arranjaram um tipo especial de casamento entre Lalita e Krsna. Isso não deve ser entendido como um casamento real, mas sim uma brincadeira de casamento, como o casamento que já foi encenado entre Srimati Radhika e Krsna. Isso é tecnicamente conhecido como casamento Gandharva.

Neste passatempo, Krsna estava sentado ao lado de Lalita, e as sakhis começaram a brincar maliciosamente. Visakha e algumas das outras sakhis amarraram o véu de Sri Lalita com a pitambara de Krsna (xale amarelo). Então, de repente, sob a indicação de Srimati Radhika, Rangadevi e outras sakhis começaram a cantar músicas de casamento enquanto Tungavidya e outras proferiram mantras de casamento, e as sakhis restantes jogaram flores em Sri Krsna e Lalita.

Quando Lalita percebeu que algo ardiloso estava sendo feito com ela, ela tentou fugir, mas como as suas roupas estavam vinculadas a pitambara de Krsna, ela não conseguiu fazê-lo. Todas as sakhis, então, cercaram o casal e os casaram. Ainda hoje, pode-se ver a indicação do deslizamento na colina, bem como as marcas de Alta (laca vermelha) dos pés das gopis. Embora este passatempo tenha ocorrido há 5000 anos, ainda é possível visualizá-lo com nossos próprios olhos.

Lalita é 27 dias mais velha do que Radharani. [De acordo com o cálculo tithi, o dia do aparecimento de Lalita-devi cai um dia antes do dia do aparecimento de Srimati Radhika.] Ela geralmente tem o mesmo estado de espírito amoroso para Radha e Krishna, no entanto, ela é mais inclinado para a Srimati Radhika.

A seguir é uma canção em sânscrito chamada Sri Lalita-astakam, juntamente com a sua tradução, e eu vou explicar melhor cada verso. Este Lalita-astakam foi composto por Srila Rupa Gosvami:

radha-mukunda-pada-Sambhava-gharma-bindu
nirmanchanopakarani-krta-deha-laksam
uttunga-sauhrda-visesa-vasat pragalbham
devim gunaih sulalitam lalitam namami

“Eu ofereço minhas reverências perante a sincera Sri Lalita-devi, que é encantadoramente dotada de muitas belas, e doces qualidades (sulalita). Ela tem habilidade natural em todas as artes (Lalita), e assim o seu serviço se auto-manifesta. Ela enxuga as gotas brilhantes de suor que aparecem nos pés de lótus de Sri Radha e Madhava quando se encontram. Ela é perpetuamente imersa na mais elevada doçura de sauhrda-rasa, ou absorção indivisa em cumprir o desejo do coração de sua amiga íntima Srimati Radhika”. (Sri Lalitastakam, verso 1)

Existem quatro tipos de sakhis: svapaksa, vipaksa, tatastha e suhrt. Svapaksa significa as sakhis que são totalmente favoráveis à Srimati Radhika. Vipaksa significa as gopis que são totalmente favoráveis à Candravali e avessas à Radhika. Tatastha significa aquelas que são neutras para Srimati Radhika e mais favoráveis à Candravali. Suhrt significa que aquelas que são mais favoráveis à Srimati Radhika e neutras em relação à Candravali. Gopis Suhrt nunca fazem nada desfavorável à Srimati Radhika.

Lalita-devi e Visakha-devi são exemplos de gopis que são svapaksa para Srimati Radhika, Candravali é vipaksa, Bhadra é tatastha e Syamala é suhrt.

O clima de Lalita é que ela está sempre tentando atender favoravelmente os passatempos de Radha e Krsna; ela sempre tenta agradá-Los. Ela se envolve em milhões e milhões de esforços para agradá-Los. Quando Radha e Krsna se encontram e se envolvem em passatempos amorosos, Lalita enxuga as gotas de suor de Seus pés de lótus. Isso significa que ela está envolvida dia e noite a serviço de Seus doces passatempos.

Existem dois tipos de serviços em madhurya-rasa (rasa conjugal). Um deles é no humor das manjaris e outro no clima dos sakhis. Lalita sempre serve no humor de uma sakhi. Uma de suas qualidades é que ela tem alguma mentalidade de controle. Ela pode comandar tanto Radha e Krishna, mas ao mesmo tempo ela tem um temperamento amigável para ambos. Ela está sempre imersa no oceano do amor. Ela é muito bonita e muito doce, mas ao mesmo tempo muito sóbria e serena. Seu coração é tão doce que ela atrai o coração de todos os outros, mas ao mesmo tempo ela é pragalbha, o que significa que ela pode falar palavras duras, e pode, assim, controlar tanto Radha e Krishna.

raka-sudha-kirana-mandala-kanti-dandi
vaktra-sriyam cakita-caru-camuru-netram
radha-prasadhana-vidhana-kala-prasiddham
devim gunaih sulalitam lalitam namami

“Ofereço pranamas a Sri Lalita-devi, cujo belo rosto zomba o brilho da lua cheia, cujos olhos estão sempre inquietos como os de uma corça assustada, que é famosa por sua experiência extraordinária na arte de vestir Srimati Radhika, e que é a casa ilimitada dos tesouros de qualidades femininas”. (Sri Lalitastakam, verso 2)

Este verso começa por descrever a beleza de Srimati Lalita-devi. Ela é tão bonita que sua beleza supera a beleza combinada de milhões de luas, e seus olhos dizem ser tão inquietos que eles podem derrotar a inquietação dos olhos de uma corça. Sua qualidade específica é que ela é muito perita em aplicar a maquiagem e, principalmente, na organização da decoração do cabelo de Srimati Radhika. Apesar de todas os oito principais sakhis serem muito famosas em colocar as decorações corporais e aplicar a maquiagem de Srimati Radhika, Lalita e Visakha são os mais hábeis. Além disso, destas duas, Lalita é considerada a mais proficiente.

O passatempo de decorar Srimati Radhika por Lalita e pelas outras sakhis é descrito no “Govinda-Lilamrta”, escrito por Srila Krsnadasa Kaviraja Goswami, e em “Krsna-Bhavanamrta”, escrito por Srila Visvanatha Cakravarti Thakura. Aqueles que querem servir a Radha e Krsna no humor de um mañjari devem levar a sério a ajuda dessas escrituras. Sadhakas (praticantes devocionais) podem encontrar passatempos, tais como os acima mencionados nesses livros, e eles podem tentar se absorver neles no momento de suas práticas devocionais.

Com referência ao verso acima, Lalita e as outras sakhis dizem a Srimati Radhika, “Quando você for se encontrar com Krsna, assim é como você deve se comportar com ele”. Elas querem que Sri Krsna esteja totalmente sob o feitiço de Srimati Radhika.

Enquanto elas estão aplicando kajal (delineador preto), elas lembram Radhika de Seus passatempos anteriores com Krsna. Por exemplo, uma vez, quando ela estava indo ao encontro de Krsna, Ela esqueceu de colocar kajal em um de seus olhos, e o próprio Krsna o colocou logo após a Sua chegada. Passatempos semelhantes são levados ao conhecimento de Srimati Radhika, no momento de colocar a maquiagem, e dessa forma, Seu humor de trazer prazer de Krsna é reforçado. Quando as gopis colocam a marca de tilaka na testa Dela, elas recitam o kama-yantra, que inspiram ainda mais Radhika no humor de seu serviço a Krsna.

Todos estes passatempos são organizados por Lalita-devi, e portanto, ela é descrita como a fonte de várias qualidades maravilhosas.

lasyollasad-bhujaga-satru-patatra-citra
pattamsukabharana-kanculikancitangim
gorocana-ruci-vigarhana-gaurimanam
devim gunaih sulalitam lalitam namami

“Ofereço pranama a Sri Lalita-devi, cujo corpo é adornado com um sari esplêndido tão brilhante como as multi-coloridas penas da cauda de um pavão dançando em êxtase, cujo peito é coberto por uma blusa extremamente atraente (kanculi), cuja parte do cabelo é decorado com cintilante vermelhão, e que usa vários colares e outros ornamentos de jóias. Sua pele dourada derrota até mesmo o gorocana, o pigmento dourado brilhante que vem, quando a água da chuva durante a constelação svati-naksatra bate na cabeça de uma vaca qualificada, e ela possui inúmeras qualidades”. (Sri Lalitastakam, verso 3)

Este verso dá uma semelhança a um pavão. Quando a estação das chuvas vem, o pavão fica muito feliz. Ele foi especialmente presenteado por Deus para ter belas cores em suas penas, e ele expressa sua felicidade ao ver as nuvens, abrindo as suas asas. Da mesma forma, os vestidos de Srimati Lalita-devi são tão lindamente ornamentados e coloridos que expressam o estado de espírito de um pavão mostrando sua felicidade por abrir as suas asas. A cor do sári, vários tipos de colares e todos os seus enfeites brilhando reluzentemente, e tudo isso combinando com o brilho de seu próprio corpo, fornece uma impressão profunda.

A palavra gorocana também é mencionada neste verso. A este respeito há uma constelação particular chamado svati-naksatra. Quando a água da chuva atinge o casco de uma vaca, nesse momento, torna-se amarela, como a cor do açafrão. Esta cor amarela muito especial de gorocana derrota até mesmo o brilho de ouro, e á substância gorocana também é considerado muito cara. Esta é a impressão que Lalita-devi dá quando ela está servindo Srimati Radhika com todos os seus apetrechos, enfeites e beleza.

dhurte vrajendra-tanaye tanu susthu-vamyam
ma daksina bhava Kalankini laghavaya
radhe giram srnu Hitam iti siksayantim
devim gunaih sulalitam lalitam namami

“Ofereço pranama a Sri Lalita-devi, a encantadora casa do tesouro de todas as boas qualidades, que instrui Srimati Radhika desta forma: ‘O Kalankini (uma casta) Radhe! Ouça minhas boas instruções que são favoráveis ​​para você Vrajendra-nandana é muito astuto (dhurta) Não exiba seu humor de submissão suave (daksina bhava) a Ele; em vez disso, seja contrária em todas as circunstâncias”. (Sri Lalitastakam, verso 4)

radham abhi vraja-pateh krtam atmajena
kutam manag api vilokya vilohitaksim
vag-bhangibhis tam acirena vilajjayantim
devim gunaih sulalitam namami

“Ofereço pranama à morada de todas as boas qualidades, à extremamente charmosa Sri Lalita-devi, que ao ouvir Sri Krsna falar mesmo algumas palavras astutas para Srimati Radhika, imediatamente fica furiosa e envergonha Krsna com seus comentários mordazes e sarcásticos, ‘você é tão verdadeira e simples de coração, e um amante tão casto!'” (Sri Lalitastakam, verso 5)

Srimati Radhika é controlada pelo amor extremo de Lalita-sakhi. Quando ela está com Lalita-sakhi, Lalita pode até castigar-La: “Quando Krsna vem, você deve permanecer muito insubmissa e demonstre um humor zangado.” Radhika pode responder: “O que posso fazer? Assim que eu vejo Krsna ao longe, meu humor zangado vai embora. Não posso mantê-lo”. Então, com um dedo levantado, Lalita diz: “Não desista do seu estado de espírito insubmisso. Você deve castigar Krsna, pois Ele tem tantas qualidades ruins. Ele é torto e lascivo. Ele é um enganador. Ele virá a você no início da manhã – e que você fará? Ele vai segurar seus pés e pedir perdão, mas não acredite em nada que Ele diz, não se torne submissa, em vez disso, você deve castigá-lo!”

Sakhis são de dois tipos e dois modos: (1) daksina – direita ou submissas. Isto é chamado ghrta-sneha (como o ghi), e é um grupo da qualidade de Candravali. (2) vamya – contrária ou insubmissa. Isto é chamado Madhu-sneha (como mel), e é um grupo da qualidade de Radhika. (Ghee é saudável, mas sem muito gosto, ao passo que o mel é saudável e também doce).

O humor de Radhika é chamado vamya (de esquerda, contrário, ou insubmissa) e o humor de Candravali é chamado daksina (de direita, ou submisso). Apenas as gopis no humor de vamya podem controlar completamente Krsna. Os dois grupos, ou seja, o grupo de Radhika e o grupo de Candravali, não apreciam um ao outro. Candravali critica Srimati Radhika e seu grupo, dizendo: “Como elas podem se atrever a fazer maan (estar em um humor zangado) por Krsna? Ele é tão doce e encantador!” Srimati Radhika e seu grupo pensam: “Por que Candravali se tornou tão submissa para com Krsna!?” Srimati Radhika diz: “Deve-se aplicar uma arma para controlar Krsna. Porque Candravali não O controla como nós? Como ela pode servi-Lo se ela não é como nós?” Assim, ambos os grupos não podem apreciar o humor do outro.

Lalita é o siksa-guru de todas as gopis no grupo de Radhika, e também de Radhika. Srila Rupa Gosvami escreve: Lalita-devi às vezes castiga Radhika, dizendo: “Oh Kalankini, Oh lidibinosa, (Ela será chamada de libidinosa por seus sogros, e por isso ela pode tentar ser contrário, mas Lalita-devi está dizendo-Lhe aqui que não importa o que os outros dizem, ela ainda pode ser contrária à Krsna). Não se torne submissa a Krsna”.

Nesta canção, Srila Rupa Gosvami oferece repetidamente suas reverências prostradas a Srimati Lalita-devi. Se Sri Krsna se aproxima de Srimati Radhika e usa algumas palavras inteligentes e enganadoras, Lalita-devi não pode tolerar isso. Em nisanta-lila, Radhika está esperando a noite toda que Krishna venha, e ainda assim Ele não vem. Ele finalmente chega muito cedo de manhã, com sinais em Seu corpo divino de que Ele tenha estado com outras gopis. Lalita-devi lhe diz: “Não venha aqui. Nós não queremos o Seu serviço. Onde está a Sua amada? Você deve ir até Ela”. Seus olhos são muito vermelhos e outros sintomas estão lá. Lalita então O castiga, dizendo: “Sim, eu conheço Você, Krsna. Você é muito casto, simples e honesto”. Por suas palavras afiadas e duras, ela faz com que Krsna fique com vergonha e muito tímido. Isto é descrito no “Sri Krsna-Bhavanamrta”.

Krishna, por vezes desafia as gopis na floresta: “Por que vocês vieram aqui? Vocês não sabem que eu sou Vrajendra, o Rei de Vrndavana? Ao colher flores aqui, vocês estão destruindo minha Vrndavana!”

Neste momento Lalita-devi diz: “Nós sabemos que tipo de ‘protetor’ Você é. Na verdade você nunca plantou uma semente ou regou uma árvore. Ao invés disso, com suas centenas de milhares de vacas, é Você quem destrói Vrndavana. Nós somos as verdadeiras donas de Vrndavana. Nós plantamos cada semente e regamos cada árvore”.

Krsna então diz: “Você não sabe quem eu sou? Eu sou uma pessoa muito religiosa e Eu nunca disse uma mentira”.

Então Srimati Lalita-devi diz: “Sim, nós sabemos que tipo de pessoa religiosa Você é. Nós ouvimos que quando você tinha apenas sete dias de vida, Você matou uma mulher chamada Putana, que veio como uma mãe para você. E qual casa de Vrndavana Você não tem roubado? Você é a mesma pessoa religiosa que roubou todas as roupas das gopis? Você é a mesma pessoa religiosa que realizou rasa-lila com todas as gopis casadas de Vrndavana​​? “Krsna fica então muito envergonhado.

vatsalya-vrnda-vasatim pasupala-rajnyah
sakhyanusiksana-kalasu gurum sakhinam
Radha-balavaraja-jivita-nirvisesam
devim gunaih sulalitam lalitam namami

“Ofereço pranama a supremamente encantadora Sri Lalita-devi, que possui todas as qualidades divinas; que também é a destinatária de afeto materno de Yasoda-devi; a guru de todas as sakhis, instruinda-as na arte da amizade; e da própria vida de Radhika e do irmão mais novo de Baladeva”. (Sri Lalitastakam, verso 6)

Sem a presença de vatsalya-rasa (amor parental), as glórias de madhurya-rasa (amor conjugal) não se manifestam. Um exemplo ocorre quando Srimati Radhika vai com todas as Suas sakhis para Nandagaon afim de cozinhar. Mãe Yasoda está lá, mas não há nenhuma perturbação. Quando Srimati Radhika vai para Nanda-bhavana com Lalita e as asta-sakhis (oito amigos mais íntimas de Radhika), Yasoda-devi exibe intenso amor materno para com ela – não menor do que o amor materno que ela tem para com seu filho Krsna. Ela também demonstra grande amor e afeição a todas as outras sakhis e mañjaris, por causa de suas relações com Ela.

Todas as asta-sakhis possuem tantas qualidades excelentes, e, portanto, Srila Rupa Gosvami escreve: “De todas as gopis, as asta-sakhis são as de nível superior.” Por exemplo, Srimati Tungavidya-devi pode falar com todos os tipos de pássaros e animais. Ela entende a sua língua e pode se comunicar com eles. O que pode ser maior do que a realização de serviços para Srimati Radhika sob a orientação de Lalita e Visakha e das outras asta-sakhis? Lalita e Visakha são os siksa-gurus de todas as gopis no grupo de Srimati Radhika.

A vida e alma de Lalita-devi é Srimati Radhika e Krsna. Srila Rupa Gosvami ora: “Eu ofereço pranama de novo e de novo para Srimati Lalita-devi”.

yam kam api vraja-kule Vrsabhanu-Jayah
preksya sva-paksa-padavim anurudhyamanam
sadyas tad-ista-ghatanena krtarthayantim
devim gunaih sulalitam lalitam namami

“Ofereço pranama a supremamente encantadora Sri Lalita-devi, a casa do tesouro de todas as boas qualidades. Ao ver qualquer jovem donzela em qualquer lugar de Vraja, e discernir que esta está inclinada em direção a sua priya-sakhi Radhika, Lalita imediatamente diz a Radha que Ela deve aceitar essa pessoa em seu próprio partido (svapaksa). Radha obedece Lalita, que assim cumpre desejos desta donzela”. (Sri Lalitastakam, verso 7)

Lalita tem muitas qualidades encantadoras. Qual é a sua maior qualidade – Sua qualidade que é a mais favorável para os aspirantes espirituais deste mundo? Se ela vê em Vrndavana qualquer Gopi, ou alguém que tenha um leve toque de um cheiro de desejo de servir Srimati Radhika, ela imediatamente realiza o desejo desta Gopi e lhe dá a riqueza ilimitada do serviço aos pés de lótus de Srimati Radhika. Se alguém tem um desejo unidirecionado para executar o serviço de Srimati Radhika, sob a orientação direta de Srimati Lalita-devi, e além disso, sob o abrigo de Sri Rupa Mañjari, este devoto deve saber que o abrigo de Lalita-devi é o único caminho pelo qual alguém pode conseguir isso.

radha-vrajendra-suta-sangama-ranga-caryam
varyam viniscitavatim akhilotsavebhyah
tam gokula-priya-sakhi-nikuramba-mukhyam
devim gunaih sulalitam lalitam namami

“Ofereço pranama a Sri Lalita-devi, a personificação de todas as virtudes divinas e a principal de todas as sakhis favoritas de Gokula. Sua tarefa principal é proporcionar prazer para Sri Radha-Govinda, organizando seus encontros – este seva delicioso supera o gozo de todos os melhores festivais combinados”. (Sri Lalitastakam, verso 8)

Sem a misericórdia de Lalita-devi, Giriraja ou Yamuna, não é possível entrar em rasa-lila. O primeiro e maior é a própria Srimati Lalita-devi, o segundo é Giriraja Govardhana, e o terceiro é o Yamuna ou Visakha-devi.

Lalita é da mesma idade que Srimati Radhika, ou ela é 27 dias mais velha. (Pode acontecer de um jeito em uma yuga (milênio) e de uma forma em outra). Como Radhika, Lalita também tem todas as qualidades de ser um yuthesvari – ser capaz de controlar o seu próprio grupo de gopis subservientes. Por que ela está qualificada para ser uma yuthesvari? Se Bhadra, Syamala ou Candravali podem se tornar yuthesvaris, então o que dizer de Lalita-devi? No entanto, apesar de ter a mesma idade que Radhika e de ter a qualificação de um yuthesvari, ainda, o único objetivo de sua vida é servir Srimati Radhika e facilitar o encontro de Sri Sri Radha e Krsna. Sua única felicidade é o encontro de Radha e Krsna, e para alcançar esse objetivo, ela nunca se importa com qualquer quantidade de desconforto ou sofrimento.

Sri Raghunatha dasa Gosvami reza:

padabjayos tava vina vara-dasyam eva
nanyat kadapi samaye kila devi yace
sakhyaya te mama namo ‘stu namo’ stu nityam
dasyaya te mama raso ‘stu raso’ stu Satyam

“Deusa O! Nunca vou orar ao Senhor por qualquer coisa, mas o excelente serviço de Seus pés de lótus. Ofereço minhas reverências constantes até a idéia de se tornar seu amigo, mas eu realmente agrada a ideia de se tornar tua serva”. (Texto Vilapa kusumanjali-16)

“Oh, eu ofereço minhas reverências milhões de vezes para a posição de uma sakhi de Srimati Radhika. Mas meu único desejo real, nascimento após nascimento, é alcançar o serviço a Srimati Radhika no humor de um mañjari. Não tenho nenhum desejo de me tornar igual a Radhika, como as sakhis. ”

Srila Raghunatha dasa Gosvami também reza, “Eu nunca vou deixar os pés de Radhika para ir para Krsna. Mesmo que Krsna for para Dvaraka e me chama de lá, eu não vou. Porém, se por alguma loucura Radhika, de alguma forma, for para Dvaraka , Eu vou voar ainda mais rápido do que Garuda para servi-La. “(Svaniyama dasakam, versos 3 e 4)

nandann amuni lalita-guna-lalitani
padyani yah pathati nirmala-drstir astau
pritya vikarsati janam nija-vrnda-madhye
tam kirtida-pati-kulojjvala-kalpa-valli

“Se uma pessoa com um coração alegre e puro recita este astakam em louvor de Lalita-devi, ele será carinhosamente trazido para o próprio grupo de sakhis de Srimati Radhika. Lalita-devi é soberbamente ornamentada com beleza, graça e charme, e, junto com Srimati Radhika, é a trepadeira dos desejos refulgente (kalpa-valli) da família de Vrsabhanu Maharaja que se arboreia ao redor da kalpa-vrksa de Krsna”. (Sri Lalitastakam, verso 9)

Em conclusão, Srimati Lalita-devi é a árvore dos desejos da prema-seva (serviço no amor) de Sri Sri Radha e Krsna. Quem canta essa Lalita-astakam fará Radha e Krishna feliz. Além disso, Lalita-devi estará feliz, e todos os nossos desejos serão realizados.

Trecho do livro “Siga os Anjos” de Srila Bhakti Raksaka Sridhara Gosvami Maharaja

Svarupa-Damodara é o companheiro constante de Mahaprabhu em Puri. Ele é um estudioso da classe mais categoria e também um cantor muito bom. Sem levar em conta a sua elevada posição social, ele irá executar o mais simples serviço. Svarupa-Damodara está lá sempre, em todos os lugares com Mahaprabhu. Quando Mahaprabhu estava perdido, e os devotos perguntavam por ele a noite inteira, Svarupa-Damodara estava lá com uma lanterna, movendo-se ao longo da praia, procurando por ele. Em krsna-lila Svarupa-Damodara é Lalita-devi.

yam kam api vraja-kule Vrsabhanu-Jayah
preksya sva-paksa-padavim anurudhyamanam
sadyas pouco ista-ghananena krtarthayantim
gunaih devim su-lalitam lalitam namami

“Eu ofereço meus respeitos à charmosa e virtuosa Lalita-devi. Se Lalita se encontra com qualquer pessoa em Vraja e percebe que essa pessoa é favorável à Srimati Radharani, ela imediatamente pede a Radharani para aceitar essa pessoa em seu grupo. Radharani obedece Lalita e realiza os desejos de tal pessoa sortuda.” (Lalita-pranama Stotra 7)

Quem quer que Lalita-devi encontre em Vraja-dhama, ela lhes pede para se juntar a seu próprio grupo. E quando eles vêm, “Sim, venha comigo.” No mesmo instante ela está dando a admissão. “Venha! Junte-se ao serviço de Radharani”. Ela é a prospecção de cuidar dos interesses de Radharani. Essa intensa atenção para o serviço de Radharani não é encontrado em nenhum outro lugar. Lalita-devi às vezes até castiga Krsna corajosamente. Ela assume riscos por censurar Krsna, “Você não sabe a dignidade da minha Senhora”.

Às vezes Radharani sente vergonha dentro de sua mente. Ela pensa: “O que ele disse sobre mim?” e Lalita-devi responde, “Esta vergonha é muito ruim. Você só fica aí silenciosa. Você não sabe o Seu próprio interesse. Eu sei o que é o Seu interesse, a Sua posição. Não posso tolerar que a Sua dignidade deva ser minimizada de forma alguma, nunca.” Esse é o espírito de Lalita-devi. Rupa Gosvami compôs uma estrofe:

radha-mukunda-pada-sambhava-gharma bindu-
nirmanchanopakarani-krta-deha-laksam
-uttunga-sauhrda-visesa Bharat pragalbham
gunaih devim su-lalitam lalitam namami

“Eu ofereço respeitos à charmosa e virtuosa Lalita-devi, que adora a transpiração dos pés de Sri Sri Radha-Mukunda, e que, por muito amor, é muito ousada e agressiva.” (Lalita-pranama Stotra 1)

Rupa Gosvami compôs uma canção em louvor a Lalita-devi – como ela é a primeira serva de Radharani. Radha-mukunda-pada-Sambhava gharma – Lalita-devi é um pouco agressiva em sua natureza, se metendo e se intrometendo nos assuntos que estejam relacionados com Sri Radha e Krsna. Ela interfere em tudo e em qualquer coisa com conexão a Radha e Krsna, pensando que os assuntos que Os relacionem sejam de sua responsabilidade. Ela é muito agressiva em sua natureza e também intolerante. Mas Rupa Gosvami justificou sua personagem. Como? Radha-mukunda-pada-Sambhava-gharma-bindu nirmanchanopakarani-krta-deha-laksam. Qual é o alto padrão de seu amor e sacrifício por Radha e Krishna? Ele diz que se ela encontra sequer uma gota de suor no pé de Radharani ou Krsna, ela virá como se tivesse milhões de corpos. É com essa ânsia que ela vai saltar para remover aquela gota de suor. Lalita-devi sente tanto carinho pelo Casal Divino.

Na origem da sua agressão e interferência nos assuntos de Radha e Krsna, encontramos uma grande e profunda afeição. Isso justifica todas as suas atividades como a líder aceita pelos associados de Radha-Krsna. Ela sempre fornece para esse par um tal elevado padrão. Ela não pode tolerar uma gota sequer de suor no pé do jovem Casal Divino. Neste nível que ela trabalha, como se ela quisesse milhões de corpos para corrigi-lo, para remover aquela gota de suor. Ela não pode tolerar nenhum problema, nem o menor dos problemas. Pragalbham Uttunga-sauhrda-visesa-Bharat – ela é muito agressiva e falante, e vai em frente para fazer tudo e qualquer coisa, como se ela fosse louca com a liderança. Mas, a fonte é a sua grande preocupação para eles. Esta é a justificação.

Às vezes, ela castiga a própria Radharani, “Você não sabe como se comportar com Krsna. Vou ensinar-lhe o que fazer. Não se fazer de disponível para Krsna tão facilmente. Você deve ter cuidado com sua própria dignidade”. Lalita assume a posição de zeladora de Radharani, sempre em primeiro lugar para cuidar da causa de Radharani, para abraçar a causa de Radharani. E ela está sempre se achando responsável por todos os assuntos que lhes dizem respeito. Às vezes, ela vai castigar Krsna também, “Você não sabe a posição elevada, o amor elevado que minha amiga tem por você. Você sabota isso. Eu não posso permitir isso”.

Do nosso plano mundano de experiência, não é uma coisa compreensível. Somos criaturas do plano da luxúria. Embora seja semelhante, a diferença entre os dois é grande. Um deles é o reflexo pervertido do outro, o oposto. Um deles é prema, o mais alto sacrifício, e o outro é este desejo, o prazer sensorial bruto. É como o Pólo Norte e o Pólo Sul, a distância é assim; exatamente o oposto.

Estamos loucos com este desejo, mas tal loucura é apenas pervertida. Na posição original é uma coisa nobre. É abnegação, sacrifício, sacrifício imprudente para a satisfação da Causa Maior, o déspota cuja medida não pode ser calculada. É nobre. Tal intensidade nunca pode ser calculada, ele não pode entrar em nosso cálculo aqui neste plano. A renúncia, libertação, salvação, estes são apenas os aspectos negativos da luxúria. Mas a vida positiva, a vida de sacrifício, o ápice é encontrado somente Lá.

Lalita-devi se considera o guardião de Radharani. “Eu sou seu guardião, eu não posso permitir que qualquer pessoa minimize este grande amor divino e o sacrifício de Radharani”. Lalita-devi figura como garantidora, mesmo a Krsna, o que falar das outras pessoas comuns. Para Krsna, isso é mais valioso e raro; é tal O sacrifício de Radharani no amor, a mais elevada intensidade e mais elevada dignidade.

É impensável, desconhecido e incognoscível. Nós só podemos conjeturar quanto a este ideal. Mas se pensarmos que obtivemos essa posição, se pensarmos que nós somos os mestres desse ideal, então ele estará acabado; obtivemos outra coisa. É uma coisa tão inconcebível, é adhoksaja. pode nunca ser pego por qualquer força de nossa mente, ou inteligência; avan manasa gocara. Sua existência transcende as nossas especulações e considerações mentais e lógicas. Mas ainda existe. E Lalita-devi é deste temperamento especial; ela tem uma importância singular na lila de Krsna, como a guardiã da lila.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s